Meu Bebê

quinta-feira, maio 03, 2012

Hormônios do amor!




Em mais uma das minhas andanças pela mundo da rede, exatamente no fórum do BabyCenter (babys p/ outubro) conheci a Ludmila e lendo uma das postagens dela me deparei com uma matéria incrível que me fez lagrimar, literalmente (estou muito sensível). O incrível da matéria é que explica cientificamente o nascimento do amor pela bebê, antes mesmo dele nascer.

Veja só:


"A ciência explica como brota seu amor pela criança"

Não se surpreenda de já amar o bebê antes mesmo de ele nascer. Os hormônios que circulam no corpo de uma mulher grávida (e que ficam mais potentes a cada semana de gestação) também ajudam a alimentar a conexão com o bebê.
À medida que a data do parto de aproxima, o cérebro começa a produzir oxitocina, um hormônio que literalmente auxilia a trazer à tona a "mãe" que está dentro de você.
Também conhecido como o hormônio do amor, a oxitocina é responsável pelo comportamento maternal em animais. Nas mulheres grávidas, a principal função do hormônio é amenizar a sensação de estresse, ao mesmo tempo que cria aquela vontade enorme de ver o recém-nascido. Quando a oxitocina circula pelo corpo de uma gestante é como se o amor estivesse correndo por suas veias.
Quanto ao bebê, ele também já começa a formar elos com a mãe dentro do útero. Pesquisas indicam que o coração dele bate ligeiramente mais rápido ao som da voz da mãe, voz que vai animá-lo e confortá-lo anos a fio.
À medida que o trabalho de parto progride, o fluxo de oxitocina no cérebro e na corrente sanguínea da mãe torna-se abundante. Quando finalmente nasce o bebê, a mãe está praticamente "intoxicada" de oxitocina, que a faz esquecer da exaustão do parto e da dor e traz euforia e uma intensa sensação de amor.
E os papais de primeira viagem também não ficam imunes a esse poderoso hormônio ao olhar para os filhos pela primeira vez. São também invadidos por uma onda de amor, muitas vezes tão rigorosa que os deixa tontos dentro da sala de parto. As mudanças biológicas nos pais também são profundas: os níveis de testosterona tendem a despencar durante alguns meses depois do nascimento dos filhos.
O bebê vai aprender a gostar muito de quem o segurar no desespero do choro ou o alimentar na hora da fome. Ele vai sentir sua falta nos momentos de ausência e vibrar de alegria quando você estiver por perto"

Agora entendo o porque já o amo, é algo incrível e indescritível.

Bjkas nas Barrigotas!


Ps: Um agradecimento especial a Ludmila!

5 comentários:

Dalila disse...

Oie!
Amei o seu cantinho!
Vou te seguir!
Bjs

Thyallen Oliveira disse...

Nossa que interessante ^^ gostei mto de saber como ocorre esse amor incomparavel se é q é possivel explicar rs bjs

Priscila Andersen disse...

Oi Maqueli!
Adorei mesmo o seu blog... super interessante, informativo e prende nossa atenção!! Parabens!!!
Vou acompanhar com certeza!
E esse post do nosso amor pelo bebê,...é tuuudo! Com certeza junto c o filho acaba nascendo uma grande mãe tb, é o que seremos, ou melhor, ja somos!!
bjinhos

Cláudia Leite disse...

Oi Maqueli!

Seja bem vinda ao meu blog, volte sempre tá?

COmecinho de gravidez a gente sente de tudo mesmo, as emoções ficam à mil. Na verdade só me senti eu mesma outras vezes meses após o parto! rsrs

Bom final de semana, bjo.

Ludmila disse...

Obrigada pelos créditos da matéria, mamis!
Beijos, to acompanhando seu blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...